O que é o transtorno de personalidade borderline? (TPB)

Existem vários tipos de personalidade dentro do padrão da “normalidade” (para fins de melhor compreensão, vamos dizer que o normal é apenas o mais comum). O borderline é um conjunto de traços que saem bastante fora desse padrão e causam prejuízo na vida da pessoa.

Como o TPB é um transtorno que afeta a  personalidade, não é algo que você possa adquirir como um resfriado ou um câncer. A personalidade de uma pessoa é uma padrão de comportamento que se inicia no final adolescência ou início da vida adulta e a acompanha por toda a vida – por isso, essa é a época em que o TPB costuma se apresentar.

É muito comum que o TPB esteja associado a outras condições psiquiátricas, por exemplo, depressão.

Para dar uma ideia básica dos sintomas do TPB, vou colocar aqui os critérios do DSM IV (Manual diagnóstico e estatístico de psiquiatria). Cinco ou mais critérios, quando presentes de forma persistente, inflexível e causando prejuízo na vida da pessoa fecham o diagnóstico de transtorno de personalidade borderline. LEMBRANDO QUE APENAS UM MÉDICO ESTÁ AUTORIZADO A DAR ESTE DIAGNÓSTICO, PREFERENCIALMENTE UM PSIQUIATRA.

1) Esforços frenéticos de evitar um abandono real ou imaginário. (não considerar comportamento suicida ou automutilante – coberto no critério 5)

2) Padrão de relacionamentos instáveis e intensos, oscilando entre extremos de idealização e desvalorização.

3) Distúrbio da identidade: instabilidade acentuada e resistente da auto-imagem ou do sentimento de self.

4) Impulsividade em pelo menos duas áreas prejudiciais a si mesmo, como na sexualidade, em gastos financeiros, na direção, no abuso de substancias, comer impulsivamente etc. Prejudicam a si próprios quando um objetivo está quase sendo alcançado. (não considerar comportamento suicida ou automutilante – coberto no critério 5)

5) Ameças, comportamentos ou gestos suicidas ou auto mutilante.

6) Instabilidade afetiva devido a reatividade do humor.

7) Sentimento crônico de vazio.

8) Raiva intensa e inadequada ou dificuldade em controlá-la.

9) Situações de estresse devido a um abandono real ou imaginado: ideação paranóide, sintomas dissociativos e psicóticos transitório.

 

border

jornal.usp.br

Quem possui TPB costuma ter visões polarizadas a respeito do outro e de si. O mundo é dividido entre o apego irrestrito e o abandono, o prazer e o intolerável. Por exemplo, eles oscilam entre sentirem-se massacrados e incapacitados de reagir a serem os justiceiros do mundo.

São impulsivos e essa característica fica evidente pela quantidade de prejuízos que traz. Por exemplo, após uma frustração, são comuns atos impulsivos, como tentativas de suicídio, auto-mutilação (cortes, queimaduras e contusões), abuso de substâncias, colocar-se em risco, como dirigir sob ação de álcool.

O tratamento do TPB requer vários medicamentos e psicoterapia. Além disso, a família do paciente precisa ser envolvida, geralmente por meio de terapia de família.

 

Eu recomendo que assistam esta entrevista, caso queiram se informar mais:

Erlei Sassi, psiquiatra e psicoterapeuta: “O transtorno borderline tem cura. Os sintomas podem ser controlados até desaparecerem”

 

 

Fontes:

  • Tratado de Clínica Médica, Antônio Carlos Lopes, 2ª edição.

 

 

Por favor, se vocês gostam de ler o que eu escrevo, deixem comentários nos perfis dessas editoras pedindo que o meu blog vire livro!

https://www.facebook.com/editoraobjetiva/

https://www.facebook.com/LePMEditores/

https://www.facebook.com/companhiadasletras/

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s